Como funciona o bilinguismo em uma escola inovadora e criativa, em que as questões emocionais e sociais são priorizadas?

Nossa prática é Bilingue, ou seja, utilizamos as duas línguas ao longo da rotina. As questões emocionais (adaptação, resolução de conflitos, acolhimento…) são tratadas na língua mãe, para gerar conforto, aconchego e equilíbrio emocional, pois a nutrição emocional e a física são requisitos básicos para toda aprendizagem do ser humano. A partir deste equilíbrio as questões cognitivas e motoras são vividas em inglês.

Um ambiente em que o uso do inglês é natural, sem aulas ou situações forçadas, proporciona aprendizagem significativa. Sabemos que a aquisição da segunda língua acontece da mesma maneira que a primeira, ou seja, ouvindo. Inicialmente a criança compreende, mas não fala. Aos poucos, começa a utilizar palavras soltas, como o bebê que balbucia suas primeiras tentativas. Na sequência, passa a unir palavras e formar frases curtas e assim por diante.

Porém, o cérebro humano só “liga o botão” da fala na segunda língua quando se vê confrontado pela necessidade. Basta pensarmos em nós mesmos ao enfrentarmos a necessidade de conversar com alguém. Se soubermos que essa pessoa fala nossa língua materna, ficaremos em nossa zona de conforto e utilizaremos o português. Caso contrário, nos esforçaremos para nos comunicar em outro idioma. Sabendo disso, criamos para as crianças esse confronto cognitivo, o “Time to fly”, nosso momento de imersão, divertido e provocador, em que as crianças são desafiadas a se expor perante o grupo e falar, à sua maneira o inglês.

São convidadas as crianças que já apresentam prontidão emocional e tempo de concentração suficiente para que fiquem focados em jogos ou atividades de mesa por aproximadamente 1 hora. Como estímulo, oferecemos imãs que representam a etapa em que cada criança está: o “warm up”, que a criança recebe ao ser convidada para participar, e outros 5 que evidenciam todo o crescimento ao longo do processo (swimmer, creeper, walker, jumper and flyer). Esses são entregues às crianças de acordo com sua evolução.